Numa agricultura de regadio cada vez mais exigente, muitas são as questões com que o empresário agrícola se depara no seu dia-a-dia, sendo que as mais importantes referem-se ao controlo dos seus sistemas de rega, e à gestão da mesma, de forma a tornar os seus equipamentos o mais eficientes possível.

A eficiência de utilização dos factores de produção é fundamental nestes tempos em que se verifica uma elevada volatilidade dos preços dos produtos agrícolas. Actualmente, a água e a energia, indispensáveis à produção agrícola de regadio, representam uma parte considerável dos custos de produção e como tal devem ser utilizados de acordo com as necessidades das culturas, com a máxima eficiência. Tudo indica que o custo da energia manterá esta tendência de subida, e inclusivamente poderá chegar a ser um factor restritivo para algumas culturas de regadio. Nos países desenvolvidos, esta é uma preocupação crescente e por isso se tem vindo a desenvolver tecnologia de ponta direccionada para a poupança de água e energia com a utilização de equipamentos de rega.

Compete pois aos agricultores actuais e de futuro, procurar e aplicar as opções que existem no mercado e que os possam auxiliar a iniciar este percurso de produzir mais com os mesmos recursos, ou seja, serem mais eficientes e assim conseguirem maiores rentabilidades na sua exploração. Isto “obriga” a que se tenha de caminhar, com passos cada vez mais largos, no sentido da Agricultura de Precisão e dentro desta, para Rega de Precisão.  Para quem pretende minimizar o investimento, e ao mesmo tempo beneficiar de uma aplicação de água mais eficiente, o sistema Taxa de Rega Variável (VRI) da Valley®,  pode ser uma óptima solução.

A Rega de Taxa Variável (VRI) da Valley®, é o sistema de rega de precisão mais avançado actualmente da indústria da rega mecanizada.

Com uma combinação de hardware e software patenteada, a VRI da Valley® permite personalizar a aplicação de água com base na informação topográfica, juntamente com mapas de dados do solo, dados de produtividade e outras informações definidas pelo agricultor. Através da análise desta informação, actualmente disponível, é possível utilizar o sistema VRI, aplicando água apenas onde é necessário e na quantidade pretendida. Assim, não há desperdícios de água em zonas do campo improdutivas, como sejam valas, canais, edificações e/ou zonas inundáveis onde muitas vezes o excesso de água inclusivamente prejudica a produtividade. Ao dividir o campo em sectores e conjuntos de emissores (nebulizadores), podemos gerir individualmente a aplicação de água em até 5.400 zonas distintas, de acordo com as necessidades de cada uma, permitindo assim maximizar a eficiência da aplicação da água.

O agricultor pode assim, optimizar a rega em toda a área do seu pivot, através do ajuste automático da aplicação de água em locais específicos, tendo em conta a variabilidade do campo e as exigências da cultura em tempo real, maximizando a produtividade das culturas e o seu potencial de rentabilidade.

A VRI é bastante fácil de utilizar. Pode carregar a “prescrição” VRI no seu pivot, através de telemetria, utilizando a BaseStation3 da Valley, conseguindo assim gerir as alterações de uma forma imediata de acordo com as necessidades da cultura a cada momento.

A VRI permite-lhe:

  • Aumentar a produtividade de todas as zonas do seu campo;
  • Reduzir os escorrimentos, contribuindo para a preservação da qualidade do solo e do meio ambiente;
  • Aumentar a eficiência na aplicação de água;
  • Aumentar a eficiência na aplicação de químicos.
  • Reduzir custos operacionais

Actualmente, os agricultores têm acesso a poderosas ferramentas agronómicas que lhes permitem efectuar com exactidão a aplicação de água no seu pivot, das quais esta VRI é apenas uma delas, existindo no mercado outras mais. Sabemos que nem todos os campos são iguais e que nem todos os produtores têm as mesmas necessidades, por isso, esta opção de VRI é uma boa ferramenta para poupar água bem como fertilizantes.

Estamos conscientes, que actualmente estamos a passar uma fase de transição geracional na agricultura. A “geração Y” ou a geração dos “Millennials” começa a assumir o controlo das explorações agrícolas por todo o mundo, em substituição dos membros da “geração X” e dos “baby-boomers”. Esta transição é acompanhada por novos desafios, com diferentes práticas de gestão sendo as mesmas acompanhadas pelo uso imprescindível de novas tecnologias, sempre com o objectivo de produzir mais alimentos com os mesmos ou menos recursos de forma a acompanhar a forte expansão da população mundial que se prevê nos próximos anos. Apesar destes novos desafios, que todos enfrentamos, a inovação e a utilização das novas tecnologias na agricultura seguramente irão proporcionar aumentos de produtividade e rentabilidade ao agricultor, assim estes estejam disponíveis para as incorporar nos seus modelos de produção.

Software Valley de criação de prescrição VRI

Instalação de sistema VRI em pivot existente

Através da BaseStation3, podemos enviar a prescrição VRI directamente para o quadro PRO2 do pivot.